contato@reisludos.com.br

  comercialreisludos@gmail.com

  (11) 2937-7825
(11) 2937-7834

Por que é importante os colégios terem uma brinquedotecas

Por que é importante os colégios terem uma brinquedoteca em seu espaço?

Porque a brinquedoteca além de ser um diferencial para uma boa escola, é um lugar onde tudo convida a brincar e a fantasiar é um lugar mágico e encantador, onde a fantasia é palpável. A brinquedoteca é um espaço próprio para o brincar acontecer por ser rico em uma grande variedade de brinquedos e jogos acessíveis para as crianças. A brinquedoteca é importante para a escola, para a sociedade por ser um espaço onde a criança além de aprender e se desenvolver possibilita a interação com amigos e juntos trocam experiências entre se e com muitos brinquedos inserindo-os no mundo social e cultural.

Além disso, há uma grande possibilidade dos professores, das várias disciplinas utilizarem a brinquedoteca como um laboratório de aplicações pedagógicas e utilizarem brinquedos diversos para concretizar suas teorias.


Existe idade para começar e parar de brincar?

Não, não há limite de idade, a brincadeira é importante em todas as faixas etárias inclusive para a terceira idade, no Japão há brinquedotecas especializada também para a terceira idade. Aqui no Brasil está começando a surgir.

Como a brincadeira diária pode auxiliar no aprendizado de crianças?

O brincar é um direito assegurado pela Constituição Federal do Brasil, é uma necessidade para as crianças, pois é fundamental para o seu desenvolvimento psicomotor, afetivo, cognitivo e social, é também uma ferramenta para a construção do seu caráter.

Na área da educação, entre outros aspectos, as atividades lúdicas são vistas como objetos e/ou ações que permitem às crianças se divertirem, ao mesmo tempo em que aprendem sobre algo. Assim, quando são intencionalmente criadas pelo adulto, com vistas a estimular certos tipos de aprendizagem, surge a dimensão educativa das situações lúdicas. Desde que mantidas as condições para a expressão do jogo, ou seja, a ação intencional da criança para brincar, o educador está potencializando as situações de aprendizagem.

Pelas atividades lúdicas, as crianças desenvolvem suas habilidades cognitivas e motoras, exploram e refletem sobre a sua realidade e sobre os costumes da cultura na qual vivem, incorporando a realidade ao mesmo tempo em que a ultrapassam, transformando-a pela imaginação.


Na sala de aula, como os professores podem utilizar as atividades lúdicas para auxiliador o desenvolvimento de crianças?

O jogo, brinquedo e a brincadeira são analisados e estudados na Pedagogia tendo em vista as possibilidades práticas de sua utilização no processo ensino e aprendizagem. Brincar é uma situação em que a criança constitui significados para assimilação dos papéis sociais e compreensão das relações afetivas que ocorrem em seu meio, bem como para a construção do conhecimento.

Quando utilizamos os jogos, brinquedos e brincadeiras como instrumento educativo, precisamos levar em conta que o fato de participar de um jogo não garante a aprendizagem da criança. Outra questão importante é que ao se propor a atividade lúdica como instrumento educativo pode-se eliminar as características desta atividade, igualando-a a outras atividades pedagógicas. Como aproveitar o conteúdo educativo da atividade lúdica sem ferir a espontaneidade? Essa é uma questão que vem sendo discutida há tempo por alguns pesquisadores.

O brincar constitui o mais alto nível de desenvolvimento infantil, por fornecer ampla estrutura básica para mudanças das necessidades e da consciência, proporcionando a ação na esfera imaginativa, sendo que a criação das intenções voluntárias e a formação dos planos da vida real favorecem o desenvolvimento.

É preciso oferecer às crianças condições para as aprendizagens que ocorrem através das brincadeiras, pois educar também significa proporcionar situações de cuidados, brincadeiras e aprendizagens orientadas de forma integrada e que possam contribuir para o desenvolvimento das capacidades infantis de relação interpessoal, de ser e estar com outros em uma atitude básica de aceitação.

Acredito, então, que as atividades lúdicas criam oportunidades às nossas crianças para que internalizem alguns conteúdos curriculares por meio daquilo que faz parte de seu cotidiano, que é o brincar.


Dê exemplos de brincadeiras e seus benefícios para o desenvolvimento das crianças.

Brincadeira: TRENZINHO

Material: nenhum.

Idade aproximada: a partir de quatro anos.

Local: pátio ou quadra.

Participantes: no mínimo quatro.

Instruções: Os participantes são divididos em dois grupos e se organizam em fila, segundo critério escolhido por eles. Cada fila deve formar um “trenzinho”, isto é, quem estiver atrás deve segurar na cintura de quem esta à sua frente, ficando o primeiro da fila responsável pela condução do “trenzinho”. O organizador indica o caminho a ser seguido, ou seja, à frente, atrás, à direita e esquerda, a seguir eles definem o caminho, alterando a cada um minuto, o primeiro da fila até que todos passem pela posição de condutor. Os participantes podem cantar enquanto se locomovem, a música elegida pelo grupo, só param quando o organizador levantar a mão para indicar o caminho.

ÁREAS FAVORECIDAS:

Cognitiva: compreensão de instruções, capacidade de deslocamento no espaço respeitando o ritmo de outras pessoas.

Social: percepção das diferentes possibilidades dos movimentos dos outros participantes e controle da impulsividade, aguardar a sua vez de liderar e respeitar o ritmo do outro.

Perceptivo-motora: identificar os conceitos de lateralidade e noção espacial.

Afetivo-emocional: controle da impulsividade e tensão em esperar a vez de liderar.

Linguagem: compreensão de instruções.

Moral: aprendizagem de trabalho em grupo, para que o trem se locomova um precisa estar em sintonia com o outro, respeitar seu espaço e momento de ação.

SUGESTÕES MULTIDISCIPLINARES: As disciplinas de Música e Educação Física desenvolvem o ritmo e lateralidade dentre outras habilidades.



Repórter:

Carolina Romanini
Repórter – Vejinha.com
Av. das Nações Unidas, 7221
São Paulo/SP - 05425-070

To Top ↑